Uma hora tinha que melhorar!

Gostaria de começar este texto dizendo que quase entramos em guerra com a Croácia… mas agora está tudo bem.
Obrigado, Entei.

As coisas, como eu disse, começaram a melhorar muito depois que eu me mudei para outro alojamento.
Estou morando agora em uma Wonenheim, que fica ao lado do campus. Embora o campus da universidade seja gigantesco, as partes dele, que realmente importam, ficam perto de onde eu moro, tipo a biblioteca, mensa (que é tipo um restaurante universitário alemão) e alguns prédios, onde o pessoal da ciências da computação tem aula.

Na segunda-feira de manhã tivemos uma reunião para conversar com a dona do quarto, que veio da Croácia essa semana, onde eu fiquei alocado provisoriamente no final de semana.
A ideia era que eu ficasse com ele e que ela se mudasse para onde eu estava. Inicialmente, a croata não queria isso de jeito nenhum. Argumentamos, então, que ela poderia usar a bicicleta, como todo mundo, enquanto eu, não. Salientamos, também, que para ela seria fácil pegar o trem e fazer a troca, assim como atravessar as milhares de ruas sem semáforo, e que, diferente de mim, ela conseguiria andar pelo meio da rua, com relativa segurança, visto que não existe calçada naquela parte da cidade, desviando dos carros que, eventualmente, apareçam. Enfim, pontuamos todas as coisas que eu ia ter muita dificuldade em fazer.
Eu já estava quase largando os ‘bets’, pensando em alguma frase de efeito, pra terminar aquela conversa, para que, de alguma maneira, as pessoas na sala se lembrassem da merda no ventilador que estava sendo toda aquela situação, mas, por um, feliz, acaso do destino, a croata topou em ver o outro quarto antes de se decidir.
Quando ela chegou lá, gostou muito do quarto.
Óbvio, né, já que o quarto, em questão, é duas vezes maior que o outro, que estávamos disputando, além disso ele é munido com uma geladeira própria e muitas outras coisas.
Então, adivinhem? Ela topou trocar.

Tudo resolvido, da maneira mais amigável possível, com a casa, pude me dar a liberdade de relaxar um pouquinho e pensar no que eu faria ao longo da semana. Não demorou para que surgissem novos detalhes para serem acertados.
Essa semana começou a Semana de Introdução aos Estrangeiros.
O pessoal nos instrui em como fazer as principais coisas que temos que fazer para estarmos matriculados na universidade entre outros; como criar uma conta no banco, nos registrarmos na cidade, seguro saúde etc.

Eles, também, têm organizado algumas festas para que os estrangeiros se entrosem entre si e com alunos alemães.
Ontem, por exemplo, fui a uma festa para ficar, no máximo, umas duas horas, queria voltar logo para dormir. Não me acostumei, ainda, com o fuso horário. A festa foi interessante e conversei com muita gente. Para falar a verdade, acho que aprendi mais italiano do que alemão ontem. Conversei com um cara que era da Itália, estávamos conversando sobre as semelhanças entre o português e o Italiano, as quais, diga-se de passagem, são muitas!

Sei que é importante eu falar pra vocês como é a cidade, quando começam as aulas, como eu e o Timmy estamos, se fiz amigos e afins, porém, saco vazio não pára em pé, sendo assim fica impossível eu ignorar a gastronomia local e seria um pouco de egoísmo não compartilhar minha opinião.
Algo que eu já dizia, baseado na minha intuição e relatos de outros, agora eu tenho certeza. No Brasil, comemos melhor do que no mundo inteiro. Não é pela questão de que tenho que me acostumar e tudo mais, mas sim pelos preços praticados, variedade de ingredientes, pratos encontrados e por aí vai….
E como eu posso afirmar que comemos melhor que o mundo inteiro se me encontro, apenas, na Alemanha?
Devo ter conhecido mais estrangeiros aqui do que alemães, estudantes que também estão fazendo intercâmbio. Papo vai, papo vem, sempre acabamos caindo no quesito comida e, eu, sempre pergunto sobre preços, as coisas que eles conseguem comprar no mercado, e tal tal tal…

Saudade dos amigos? Que nada, to com saudade é de carne de gado!

Skip to top

Comments

8 Responses to Uma hora tinha que melhorar!

  1. h3l says:

    Ou seja, sem X Picanha com Cheddar e Bacon duplos nos próximos meses ^^
    Que bom que tudo se acertou, Lucas, fiquei preocupada desde o último post, é incrível como ‘meros detalhes’ fazem toda a diferença em nossas vidas..

    bj

  2. DDD says:

    Muito bacana o seu texto. Ai na Alemanha você conversa com a galera mais em inglês ou o seu alemão já esta bom o suficiente?

  3. Felipe Raabe says:

    Espera começar a abstinência de Feijão xD

  4. Thaisa says:

    Que bom que já está tudo ficando melhor por aí. Espero que você encontre um restaurante brasileiro por aí e mate sua vontade de comer carne e comece a lembrar dos amigos! ;)

  5. Haha que bom que as coisas estão melhorando. Espero que você encontre um restaurante brasileiro por aí, mate a saudade de comer carne de gado e possa, então, lembrar dos amigos hsauhsa

  6. Luiza says:

    Lucas,
    Incrível seu blog, de verdade…
    Você escreve muito bem e apesar de ter comentado no seu post anterior que não conseguia passar extamente as suas “sensações” naqueles momentos, você com certeza chegou bem perto disso.
    Virei leitora do seu blog :)
    E no mais, estou feliz de ter você e, desculpa por essa parte, principalmente o Timmy como vizinhos. haha

  7. Solange Albiero says:

    Lucas, Parabéns pela iniciativa e perseverança, desejamos a você tudo de bom e é persistindo que avançamos em nossos desafios e conhecimentos. Boa Sorte. Abraços do Sergio, Solange Artur e Gabriel.

  8. Diele Pedrozo says:

    Não falei pra você levar a comida da inauguração do New York Cafe na mala?! hahahahaha Quando voltar prometo que faremos um mega hamburguer de Angus em um delicioso pão de bagel fresquinho pra você, com uma porção imensa de bata rústica temperada!!! ;)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>