[Deutschlandsage] – Prólogo

Estou embarcando em uma nova aventura, se é que possamos chamá-la assim. Vamos supor que seja uma por dois motivos: Primeiro, certamente ela contém os principais aspectos que uma aventura de capa e espada tem que ter. Saída da minha zona de conforto, uma terra distante ao norte, um idioma novo, um castelo e um monstro terrível: A comercialização da picanha beira 1.5 rins humanos o kg. Segundo, por um motivo inútil que é a excentricidade do escritor desta porcaria de epicificar suas histórias, que é o ato de tornar as coisas épicas, a palavra aventura pertence a categoria de palavras a se por em uma prosa épica, por isso, aqui ela está. Agora que já estamos acertados que vou em uma aventura, posso dizer que estou inaugurando mais uma categoria nesse blog que passou muito tempo sem nenhum texto novo pelo simples fato de que eu não sei sobre o que escrever. Esta categoria vai ser die Deutschlandsage (a saga da Alemanha).

Estou fazendo intercâmbio pela universidade. Competi com mais um pessoal por uma bolsa de estudos, ganhei, e aqui estou eu. Escolhi a Alemanha, mais precisamente a cidade de Karlsruhe, para ser meu destino porque dentre os lugares pesquisados, este era o lugar mais preparado para receber uma pessoa cega. Eles possuem um centro dentro da universidade responsável por adaptar materiais para os cegos. Isso não é novidade, muitos lugares do mundo possuem isso. O que eles tem de diferente mesmo é que eles adaptam materiais da área das exatas a muito tempo, e isso sim é um grande diferencial.
Caso você queira saber um pouco mais sobre o lugar, seguem um vídeo com duas partes sobre lá:

O outro motivo pelo qual escolhi este destino é porque quando acabei de fazer inglês, fiquei pensando que outro idioma eu estudaria. Não acredito que eu esteja perfeito no inglês, pelo contrário. Mas uma vez que acabei o curso, consegui o diploma, agora os estudos são por minha conta e seria interessante se eu começasse outra coisa. Escolhi o alemão.

O idioma alemão é incrível. Eu gosto bastante de estudá-lo, mas com total certeza ele é muito mais difícil que o inglês. A primeira vista a pronúncia pode parecer a maior dificuldade, mas acabei superando esse quesito mais rápido do que imaginei. Para mim, o que é difícil mesmo, são as declinações: Dativo, acusativo, genitivo e nominativo. Tais declinações introduzem uma complexidade no ato de falar / escrever que levou e ainda vai levar, um bom tempo para eu me acostumar.

No mais, estou bem empolgado com a idéia. As aulas começam em outubro, mas no início de setembro já estarei na Alemanha para fazer um curso intensivo de alemão oferecido pela universidade. Duvido que eu entenda uma aula se quer dita em alemão nos primeiros dois primeiros meses, mas tudo bem.

Wir sehen uns in Deutschland!

Skip to top

Comments

2 Responses to [Deutschlandsage] – Prólogo

  1. Boa sorte nessa sua aventura!
    Estarei torcendo, muito, por você…. só não esqueça de mandar notícias!

  2. lucas says:

    Testeando……

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>